Estudo publicado no livro “Gestão Visual de Projetos: utilizando a informação para inovar” do professor Júlio Teixeira. Desenvolvido durante a pós-graduação em Ilustração, na Univali. O livro completo está no link. Este case mostra o estudo de fluxograma, que poderá auxiliar na definição de requisitos para projetos, utilizando personas e demais pesquisas informacionais durante o desenvolvimento.
Tendo em vista essa necessidade para se obter os requisitos norteados para uma solução projetual, os autores e o professor aplicaram um método de desenvolvimento de projeto que detalha passo a passo atividades para auxiliar o desenvolvimento da pesquisa informacional. O caso descreve como um grupo de alunos de pós-graduação em Ilustração, utilizou o fluxograma para desenvolver uma capa de livro de culinária. No decorrer do projeto, o passo a passo se mostrou eficaz para inspirar a fase de criação e concepção do produto, além de ajudar a equipe a escolher alternativas. Com o método, foi possível processar diferentes informações para definir as características mais relevantes que agregam valor à solução.​​​​​​​Levantar informações iniciais​​​​​​​
Passo a passo do case
Primeiramente, deve-se fazer um levantamento de dados e informações sobre itens relevantes para o projeto. Entre esses itens cabe destacar: pesquisas sobre o produto ou serviço a ser desenvolvido e sobre o público e o mercado a ser atendido. Portanto, nesse momento deve-se buscar conhecer as características e funções do produto ou serviço; os potenciais usuários e consumidores; as expectativas e interesses da organização e/ou do patrocinador do projeto; e as oportunidades e riscos de mercado.
1º Passo
O primeiro passo foi determinar o tipo de livro que iria atender aos perfis selecionados. Para isso foi selecionada uma característica em comum dos perfis: o gosto por culinária informal.
Utilizando o processo de brainstorm, os alunos selecionaram, com o auxílio do professor, o título “Impressionando na cozinha”. Como público-alvo foram selecionadas pessoas que gostam de cozinhar informalmente, em confraternizações caseiras. A etapa de análise de mercado identificou muitos livros sobre o assunto. O diferencial do livro deste projeto ficaria por conta de um aplicativo para celular e tablet com funções específicas, opiniões e avaliações de quem já fez a receita.
Analisar dados

Depois de obter os dados supracitados, é hora de organizar. Utilize mapas mentais, painéis semânticos etc. para tornar mais clara a visualização dessas informações. Reúna essas informações estabelecendo uma hierarquia entre os conceitos e subconceitos. As informações sobre o público — interesses pessoais e profissionais, hábitos de consumo — devem ser usadas para criar personas, ou seja, perfis-padrão de potenciais usuários e/ ou clientes.
2º Passo

A equipe gerou dois perfis de público sintetizados em personas para o livro referente ao projeto proposto. O primeiro perfil desenvolvido foi o de Isabela e o segundo gerado foi o de Paulo Gilberto:
Determinar força de perfil
Nesse passo determina-se o peso das personas de acordo com o grau de afinidade com o produto ou serviço. Você deve levar em conta fatores como o interesse e o potencial que ela tem de comprar e de usar o produto — quanto mais fortes essas características na persona, mais força o perfil terá.
3º Passo:
Definição peso de conceitos
Aqui você vai calcular o peso dos conceitos levantados. Relacione em uma matriz o peso das personas com a afinidade ou importância que elas dariam para cada conceito. Os conceitos ganham maior peso de acordo com a relevância da persona — e as chances de acerto são maiores.
4º Passo:
O peso dos conceitos foi determinado segundo a fórmula: importância do conceito para o perfil 1 (a) x peso do perfil 1 (5) + importância do conceito para o perfil 2 (b) x peso do perfil 2 (4) = peso do conceito. A importância do conceito para o perfil obedeceu a uma escala de 1 a 5, em que 1 = conceito com menor nível de importância e 5 = conceito muito importante, e foi usada nas tabelas 1, 2, 3 e 4. Analisando visualmente os painéis semânticos montados (figuras anteriores), foram selecionados os conceitos gerais. E utilizando a fórmula (descrita acima) obtivemos os pesos dos conceitos gerais, conforme especificados na tabela 1:
Dessa forma os conceitos gerais definidos para a capa foram: uso de textura, colorida, com título em destaque (conceitos: fonte e subtítulo) e ilustração fotorrealista (conceito: foto). Para a determinação das formas da capa, foram definidos conceitos específicos e tratamentos estéticos para a figura, fundo e fonte através da avaliação dos conceitos e o peso dado pelos perfis, novamente através de tabelas:
Avaliação em diferentes níveis projetuais
Neste último passo, deve-se aplicar o peso dos conceitos às matrizes de avaliação de todos os outros níveis projetuais — esboços, refinamento, protótipo e produto final. Isso ajuda a manter o foco e a priorizar os conceitos mais importantes, até chegar à solução final.
5º Passo: Resultados alcançados
De acordo com os resultados obtidos nas tabelas 1, 2, 3 e 4, a equipe de projeto optou por usar desenhos fotorrealistas de vegetais estampados sobre textura imitando pano de prato branco com o subtítulo (vegetais) em fonte serifada com maior destaque (figura abaixo). Pode-se afirmar que a solução proposta privilegia o perfil 1, não desconsiderando pontos importantes para o perfil 2, como o equilíbrio de cores e a sobriedade da composição.
Extra
Após o aprimoramento do fluxograma anterior foi feita uma versão direcionada para projetos de interfaces que integra essa lógica com a metodologia proposta por Garret (2011).
Este projeto foi desenvolvido pela equipe de Pós-graduação em Ilustração da Univali:
Betina Von Hohendorff Seger
Giselle Zart
Ingryd Calazans Affonso
Mayara Barbato Flor
Giuliano Vieira Benedet

Sob orientação do professor e autor: Júlio Monteiro Teixeira
Ilustração e gráficos: Giuliano Vieira Benedet
Back to top